quarta-feira, 14 de julho de 2010

Os Laços Afetivos

Acredito que os laços afetivos sejam mais fortes do que os laços sanguíneos. Tenho certeza que os vínculos afetivos falam mais alto do os vínculos genéticos. Penso assim. Não por que li em algum livro, mas porque pude notar que em minha tem sido assim.

Há ex-esposos e ex-esposas, mas não há ex-pais ou ex-filhos. Os laços sanguíneos não são quebrados. Meu Pai faleceu ontem, dia 13 de Junho, de 2010. Acabei de chegar do velório. Durma certa forma sua morte não foi tão dolorida para nós (Filhos), pois já tem 15 anos que meu pai rompeu com os laços afetivos. Em minha adolescência, meus pais se divorciaram. Mesmo assim, ele ainda era meu pai. Porém ele mesmo se distanciou dos seus 04 filhos. Pai se preocupa com os filhos... Pai separado não é diferente... É pai do mesmo jeito... E pai passa pelo menos os fins de semana com os filhos, porém meu pai agiu o contrário. Ele quebrou os laços da afetividade totalmente.



Lembro que tive uma infância gostosa, Eu tinha um pai amoroso. Lembro-me dele ensinando-me matemática e ensinando-me a preencher uma folha de cheque, Lembro de fazer as coisas com ele, como por exemplo, pegar pedrinhas para enfeitar a calçada de nossa casa... Lembro de brincar com minha irmã no Passat (carro) do meu pai e lembro que um dia ele nos levou para comprar um presente para minha mãe, era um domingo-domingo do dia das mães-e nesse dia vomitei no carro dele... Quantas lembranças... Lembrança de quando meu pai era um pai de verdade.

Meu dois irmãos caçulas não tiveram a infância que eu tive. Quando meu pai saiu de casa, eles tinham respectivamente, 07 e 06 anos. Na época, eu tinha 13 anos e ele me disse por que estava indo embora. Eu era um garoto que mal sabia o que era a vida, não entendia muito não... O que ele me disse na época soa parecido com “Se vira! Eu estou pulando fora do barco”. Se ele soubesse o quanto ele perdeu. Perdeu de ter na velhice o carinho e os cuidados dos quatros filhos.

Em tudo dou graças a Deus, pois mesmo sem saber, Deus Tomou conta do leme do navio. Meu pai pulou fora do barco, mas Deus assumiu o controle. Quantas vezes eu fui infiel com Deus. Questionando as coisas. Pois tivera uma infância feliz, e em minha adolescência tive que ser o “homem da casa” e tinha apenas 13 anos. Os adolescentes curtiam a vida, namoravam e namoravam muito e eu apenas estudar e trabalhava. Trabalhava para ajudar no sustento de casa. Dos 13 aos 18, não tive salário para mim. Tudo o que eu ganhava era para casa. Minha adolescência foi um deserto, mas Deus estava presente; Eu não o via, mas hoje posso ver as mãos de Deus em meu passado.

Se meu pai não tivesse ido embora, talvez a história da minha vida fosse diferente, talvez eu não tivesse o açaí na panela, talvez eu não fosse quem eu sou... Talvez minha mãe fosse apenas e somente uma dona de Casa... Para Ela não seria problema, pois ser dona de casa é um privilegio. Louvo a Deus pela vida da minha mãe.

Uma mulher forte e batalhadora. A mulher que construiu o meu caráter. Minha mãe vale muito. Uma mulher fiel e de caráter. Poucas mulheres hoje são assim. Depois da separação, Deus deu a ela um ótimo emprego. Ela é servidora municipal. Hoje uma mulher independente e feliz. Ela ficou com a melhor coisa do casamento - os quatros filhos.


Sem duvida alguma, mesmo não entendendo, hoje vemos o quanto Deus cuidou e cuida de nós. Lógico que gostaria de ter uma adolescência onde o afeto paternal fosse uma realidade, Mas valeu a pena, amadureci e sou o que sou; Deus nunca nos abandonou.

Admiro muito a minha mãe. Ela é uma mulher valiosa. Meu pai deveria ter a tratado como princesa. Sei o quanto minha mãe amava meu pai. Se ele soubesse o quanto ele perdeu.

Obrigado Senhor Jesus por tudo.
Mega abraço a todos os leitores do blog. Uma ótima semana a todos.



5 comentários:

Alessandra disse...

poxa,nunca te vi rasgar o coração deste jeito por aqui.Pois é,pais separados é algo doloroso,também convivi com isto,vc sabe..mas tem razão,quando os homens abandonam seus lares com esposa e filhos,acabam saindo perdendo,com meu pai também foi assim..perdeu em qualidade de vida,apesar de ter sido um pai muito amoroso para mim e eu ter morado com ele dos 9 aos 17 anos..enfim.
Fique em paz,o Senhor jamais te deixará!Abraço,paz!

Adriana disse...

Olá,

Receba meu abraço não de condolências mas de agradecimento por este texto tão denso e maravilhoso que abrilhantou minha tarde.
Minha história familiar é parecida com a sua e atribuo a Misericórdia do Senhor tudo o que foi bem encaminhado, mesmo com as circunstâncias dizendo não.
Somos sobreviventes por Ele quis assim.

Fique na Paz

Fabio Faith disse...

Obrigado as duas pessoinhas maravilhosas da blogosfera pelos comentarios... é Alessandra...rasgar o coracao faz bem.

Rose disse...

Oi amado, que bom saber que nosso Pai Eterno cuidou de você e da sua família direitinho e te amadureceu a ponto de saber lidar com essa situação. Meu marido também foi "esquecido" pelo pai e hoje (ele está desviado) sinto que isso causou mágoas em seu íntimo...mais creio que um dia ele vai vencer esses sentimentos e ficar em paz, como aconteceu com você.
Um abraço forte na mãe guerreira e abençoada que Deus lhe deu.
Nosso Pai amado cuidará sempre de sua vida nos mínimos detalhes,

Fique com Ele, na paz,
abraços.

Flávia Porfirio disse...

Oi mo lindo!!!

Que DEUS possa trazer refrigério em seu core...

Mesmo num momento como este, tu, com toda sabedoria, expressa seu coração, seu sentimento de filho biológico e espiritual.

Realmente, DEUS é uma pai cuidadoso. Hoje podemos não entender o enredo da história que ele está escrevendo, mas no meio da leitura, a história tem princípio, meio e fim...

Amado, que o paizinho celestial continue te honrando sempre. Que a sua adolescência seja curtida todos os momentos. Nem que seja com seus futuros frutos. (rsrsrs) Ou até mesmo na casa dos amigos com um bom filme com pipoca e leite quente. (ummm......)

Bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails