sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Musica do Lulu Santos e Los Hermanos no culto?

Quando eu ouvi o Ed René Kivitz dizer que a IBAB é Uma igreja para quem não gosta de igreja, fiquei bastante intrigado em saber mais sobre a comunidade de Água Branca (IBAB). Bem o Ed René é o Pastor Presidente desta comunidade e o conheci através do Podcast Irmãos.com, no qual ele participou de alguns programas e de lá pra cá tenho lido seus textos e ouvido seus sermões e tenho sido muito abençoado pela forma inteligente de pregar.

Não sou membro da IBAB. Mas gosto muito desta comunidade.


Recentemente estava lendo um post do Fabrico Cunha (Pastor de Jovens da IBAB), no qual ele faz uma abordagem rápida sobre musica. Como gosto de musica também então trago aqui o texto do Fabrício Cunha.

Musica

Gosto muito das reuniões da Ibab Jovem, mas por que tocam e cantam músicas que não são da igreja, como Lulu Santos e Los Hermanos? ”

A questão é que na igreja, e somente na igreja, graduamos as músicas como sagradas ou profanas, de Deus ou do mundo. Isso é um erro.

Paulo nos diz que a graça foi derramada sobre toda carne e que existe virtude nas pessoas a partir de sua gênese, que é a imagem e semelhança de Deus. Portanto, a beleza habita toda terra e a criatividade, toda criatura.

Existe música boa e música ruim, música profunda e inteligente e música superficial e vazia.

Paulo ainda nos diz em Filipenses que: “tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” Esse é o critério.

Uma outra coisa é que toda a Bíblia é verdade, mas nem toda verdade está na Bíblia. Muitas das músicas, poesias, textos acadêmicos que ouvimos, lemos e estudamos, expressam verdades que combinam com a verdade bíblica e precisam ser consideradas.

(No blog do Fabrício Cunha, há uma seção intitulada “#UmaRapidinhaSobre”, Onde modo curto e rapido ele aboda determinado assunto. Visite:http://fabriciocunha.com.br/)

3 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

um passo para se desfazer o equívoco que é a demonização da cultura que o cristianismo fez durante décadas.

abraços

Eder Barbosa de Melo disse...

Achei interessante. É fato que muitas músicas como as dos artistas citados algumas vezes tem mais conteúdo dos outras que se dizem cristãs. Faço minhas as palavras do Edu, avancemos.

Henrique D. Barros disse...

Penso como o Kvitz que em muitos sermões (como no que compara casamento com vida cristã) em que deixa claro sua opinião sobre "coisas boas" sem o conteúdo do Espirito Santo... Vale a pena ler algo sobre, afinal luz ainda é luz e trevas ainda se travestem de luz #ficaadica.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails